terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Sobre sentimentos sinceros e generalidade.


Hoje eu estava pensando em como as coisas estão com essa nova era de mensagens ilimitadas (não é propaganda de nenhuma empresa de telecomunicação então não citarei nomes), redes sociais e generalização dos sentimentos. Não vou começar com radicalismos e frases que todo mundo já cansou como "eu te amo não é bom dia" mas é mais ou menos por aí o negócio, sabe ?

Não sei você, mas às vezes eu sinto dificuldade em acreditar na sinceridade dos sentimentos das pessoas. Não estou chamando ninguém de falso, longe disso! Mas sabe quando é algo tão generalizado que você não sente que é realmente uma coisa especial ? Ou quando até parece de verdade mas acaba de repente e logo tem outra pessoa (completamente nova ou desconhecida) recebendo o mesmo tratamento que antes era apenas dispensado a você ?

É, é bem ruim. Dá uma angústia no coração e deixa as pessoas cada vez mais desconfiadas, confusas e cercadas de amizades superficiais ou até profundas, mas com prazo de validade.
Repetindo: não quero ser radical. Não digo que temos que ser melhores amigos de todas as pessoas que aparecem na nossa vida e criar rancor se de repente elas mudam ou começam a preferir outros amigos, com certeza não! Na verdade, quero dizer o contrário, sabe ? Amigos são legais! De todos os tipos, idades e com qualquer sentimento envolvido.

Mas é só que as coisas deixam de ser especiais ou únicas quando começa a ser igual pra todo mundo. Por isso que, dos amigos, só alguns são melhores e normalmente só namoramos uma pessoa por vez. Porque elas se tornaram especiais por algum motivo, elas se destacaram entre os outros e ficou mutuamente decidido que é "eterno enquanto dura" ou algo tão bonito assim.

Eu sou fervorosamente a favor dessa filosofia de não fazer ao outro o que não quer que façam a você e além disso, fazer o que quer que façam! Reciprocidade é algo sensacional! E por isso eu nunca digo a alguém que gosto da pessoa se não for verdade, evito ao máximo dar falsas esperanças e peso o valor das palavras quando envolvem sentimento.

Pra fechar? O estudo do clichê: Amor não é bom dia, boa noite e nem pronome de tratamento (exceção para namorados), conforme-se e pare de confundir as pessoas.