terça-feira, 2 de dezembro de 2008

"eu já não me importo realmente se as águas vêm e vão mas eu ainda as ouço batendo nas paredes sólidas de pedra que estão abaixo dos meus pés e sinto respingos de sua fúria molhando meu rosto. elas não conseguiram ainda me alcançar, lançar seus braços úmidos e torrenciais para minhas pernas, afim de que eu perca o equilíbrio e me ajoelhe diante de sua gloriosa manta azul, que se estende sublime até onde a vista pode alcançar.
uma brisa mais fria me faz apertar ainda mais meus olhos e levantar os braços, esperando que minha persistente adversária tente me derrubar, descendo do céu. mas eu sei que, apesar de seus tantos pedaços serem afiados como navalha e rápidos como um tiro, não irão me machucar: seu único objetivo é se juntar às águas baixas para que elas se elevem cada vez mais contra mim.
as gotas caem e caem e caem. vindo de encontro a im, grudando meu cabelo em minha nuca e as roupas em meu corpo, chicoteando minha pele mas, ao mesmo tempo, acariciando-a.
eu sei o que vai acontecer: as ondas virão mais fortes me pegarão de surpresa, me puxarão e me engolirão, fazendo com que eu me perca em suas negras águas. mas eu não ligo, é isso que eu espero, é isso que eu desejo.
pensei em como é um alívio poder contar com a certeza e um suspiro escapou pelos meus lábios: "finalmente."
então tudo parou; os ventos, a chuva e a união de forças cessaram. apenas me restaram o frio e a silenciosa escuridão. ela tinha desistido. talvez não fosse a mesma coisa sem que houvesse resistência da minha parte.
é uma pena... quem sabe na próxima ?"

~ ªbrúh.

água me inspira;
acho que eu tenho uma pequena fixação por ela...
mas que tal a história ? (: