terça-feira, 21 de setembro de 2010

Fidelidade inocente


Não pense que um dia vou te abandonar, largar mão de você. Pode não ser a atitude mais esperta do mundo mas é algo que eu provavelmente nunca farei. Com isso não quero dizer que nunca vou perder contato ou que farei questão de falar contigo sempre. Apenas quero deixar claro que sempre estarei por perto caso você precise de alguém (mesmo que não seja exatamente eu).

Simplesmente porque eu me importo com você. Eu quero sempre te ver feliz ou pelo menos bem. Me contentaria com sua alegria até se a causa não fosse eu - mesmo que isso doesse um pouco (ou muito) em mim - e me conformaria que não se pode ganhar todas as vezes. Confesso que talvez me afastasse um pouco em um momento como esse (sou humana, afinal), mas não seria por um pequeno capricho de orgulho que eu ignoraria sua cara fechada ou triste.

Se existem pessoas das quais eu não consigo guardar rancor, são aquelas que eu amo. Talvez guarde alguma desconfiança mas só se for justificada. De qualquer forma, em algum momento eu vou deixar de lado tudo que aconteceu e me deixou triste para seguir em frente.

Então sim, eu serei (insira aqui o adjetivo que achar apropriado) sempre. Podem passar anos, e durante eles talvez você nem lembre mais a minha cara, mas, se em algum dia nos virmos e não houver nenhum sinal negativo, eu vou te tratar como sempre te tratei. Porque tem uma parte de mim que é apenas sua: aquela que você cativou.