domingo, 26 de abril de 2009

"E então ela tirou delicadamente os caroços de um pedaço da melancia e deu uma bela mordida.
- Sabe... - disse tentando conter a gota que queria escorrer pelo queixo - ninguém é obrigado a gostar de tudo o que acontece mas, pelo menos, poderiam reclamar menos e fazer mais.
- Como se fosse tão fácil assim. - respondeu a outra enquanto olhava avoadamente para o lago.
- É o que diz um provérbio grego: "Começar já é metade de toda ação". - recitou, dando uma última olhada no livro e se virando para as amigas - Se você já começou, vai até o fim. Aliás, ninguém te disse que ía ser fácil e...
- Coisas que valem a pena nunca são fáceis, eu sei. Detesto quando vocês estão certas."
( só pra servir de introdução. um dia ainda vai ser parte de uma fic minha, podem esperar )

siiiiiiim, estou em momento de revolta e revolução.
nãããão, tem absolutamente nada a ver com desabafo emo porque 'ai, minha vida é uma droga' (por favor, eu tenho mais o que fazer)
em todo o caso, vamos aos fatos.
eu sei, você sabe e todo mundo concorda que é muito mais fácil ficar parado e se acostumar à uma situação do que tentar mudá-la totalmente lutando.
com todas as novidades e tecnologias que nos são apresentadas de bandeja hoje em dia, poucas pessoas se dispõem a sair fazendo coisas com suas próprias mãos. por exemplo, antigamente nem todos tinham dinheiro para gastar com brinquedos para os filhos e, ao invés de ficar lá fazendo nada, as crianças construíam seus próprios brinquedos! às vezes o pai ajudava, mas aquele carrinho de rolimã, aquela panelinha de barro e a bonequinha de pano não vinham direto do supermercado ou alguma loja especializada.
parece besteira mas é uma coisa a ser pensada.
atualmente as pessoas procuram pelas coisas prontas e, se não encontram, desistem e partem pra outro plano. aí é que entra aquele um, aquele outro e mais alguns que querem muito aquilo e sabem que não vão conseguir nada parados. não adianta nada você querer muito que aquele copo chegue até você e não levantar pra pegar ( desculpe acabar com seus sonhos mas o 'poder da mente' não faz objetos flutuarem ).
também é válido se você não for um dos que encabeçou o movimento mas tá dando todo seu apoio e dedicação para a causa. essas manifestações são como coração de mãe: sempre cabe mais um (ai que brega eu ;x)
bem, pessoinhas, é essa a ideia que fica: não se contente com o pouco que te oferecem se você merecer e puder ter mais.
completando com mais uma frase de propaganda: "se não puder fazer tudo, faça tudo que puder". :')